11 de Junho de 2013

Guppies selvagens - 38 litros (post original de 16 de Fevereiro de 2013)

Decidi passar os gupis selvagens "Colômbia" para um aquário um pouco maior, para isso resolvi voltar a montar um dos aquários que tinha encostados. Este tem uma capacidade bruta de 38 litro, e para um aquário colónia de gupis parece-me ter um tamanho adequado. Para este projecto reutilizei material que tinha guardado, com excepção da calha de iluminação que comprei nova,  pois não tinha nenhuma com as medidas adequadas, esta tem uma lâmpada de 36 watts, mas aqui a minha preocupação principal nem era ter muita capacidade luminosa, já que só penso utilizar plantas pouco exigentes em termos de luz. Mandei também fazer uma tampa em vidro à medida, a minha experiência com aquários abertos diz-me que a evaporação acaba por ser um pouco excessiva e não é muito prático andar constantemente a repôr a água evaporada.

A minha ideia foi a de tentar fazer algo inspirado num biótopo de rio da América central, com alguma corrente e água um pouco dura e alcalina, por isso a escolha de areão e os calhaus rolados. Digo inspirado porque usei plantas algo livremente


Características:
  • 38 litros brutos
  • Termostato de 50 watts
  • Iluminação fluorescente de 36 watts
  • Filtro Eheim aquaball 150-480 litros/hora

Fauna:
  • 7 Poecilia reticulata "Colombia" (5 machos e 2 fêmeas - bem sei, o rácio não está nada bom)
Flora:
  • Echinodorus tenellus
  • Staurogyne repens (uns pés que tinha noutro aquário onde nunca pegaram bem)
  • Vallisneria nana
Usei fertilizante em pastilhas para ver se as plantas pegam rápido.



16 de Fevereiro de 2013 - a pedra em cima do tronco não é para ficar, está lá para impedir o tronco de boiar.

Vou tentar actualizar este post todos os dias com uma foto do aquário, a ideia é retratar a sua evolução, especialmente no que respeita ao desenvolvimento das plantas que será o aspecto mais visível.



17 de Fevereiro - retirei a pedra que estava a aguentar o tronco no fundo e reorientei  o fluxo de saída do filtro. Não são visíveis mais adicionei alguns caracóis Planorbis corneus. A água está ainda um pouco turva.



18 de Fevereiro - a água já está bastante mais clara, à superfície do aquário podem-se notar alguns flocos de comida a boiar.



19 de Fevereiro - não há nada de muito significativo a assinalar hoje, o tronco está a ganhar alguns fungos tipo "penugem" branca, o que é normal que aconteça nos primeiros tempos após ter sido submerso. Acrescentei alguns caracóis Melanoides tuberculata, são óptimos para permitir a oxigenação do areão, pois passam a maior parte do dia enterrados e remexem constantemente o substracto, quebram-me o biótopo porque são de origem asiática, mas paciência. Vou deixar de colocar fotos todos os dias, na medida em que na maioria dos dias poucas diferenças se notam, torna-se exaustivo; mais tarde farei talvez um post com toda a sequência como uma animação.


23 de Fevereiro - veio finalmente a Vallisneria nana, que plantei na zona à esquerda no aquário, antes do tronco, foram só uns pés pequenos, plantei também mais alguns pés de Echinodorus tennellus junto aos que já existiam e na zona à direita. Troquei o aquário de sítio, o que me levou também a trocar a posição do filtro para a direita do aquário. O termostato tive que o substituir, um tetra de 100 watts que estava sempre aceso mas não passava dos 20º, lá encontrei guardado numa caixa um Aquapor de 50 watts que se está a portar bem por enquanto. Mas a novidade mais interessante é a de que o aquário neste momento já tem sete gupis, na foto conseguem-se notar no centro, por cima do tronco. 

1 de Março - vi hoje um alevim no aquário, não estava à espera que surgissem tão rápido, as fêmeas não pareciam especialmente redondas, só deve ter sobrevivido um, o aquário ainda não tem plantas crescidas o suficiente para servir de refúgio em condições. Coloquei uma planta flutuante pelo sim pelo não, mas não a devo manter porque cria muita sombra, talvez coloque alguma ceratophylum. Também não estou a gostar muito do ar das echinodorus, parecem estar a ficar escuras e a perder viço, vamos ver

2 de Março - afinal são pelo menos cinco alevins, e os mais velhos parecem deixá-los sossegados, aproximam-se por curiosidade mas os pequenos, de qualquer modo, escapam rápido.


19 de Março - Os alevins já duplicaram de tamanho. As plantas parecem finalmente estar a crescer a bom ritmo. Coloquei alguns pés de Hydrocotyle leucocephala, é capaz de ficar alta demais para este aquário, vamos ver, se ficar mudo para outro que vou montar em breve.


11 de Junho - as plantas desenvolveram-se imenso, especialmente a Vallisneria (que precisa já de ser podada novamente) e Echinodorus. A Staurogyne tem crescido mais em altura, as folhas que ficam nos níveis inferiores têm tendência a morrer. Já a Hydrocotyle tem rebentos novos mas o crescimento parece ser extremamente lento. Comecei a ter alguns problemas de algas e agora fertilizo de duas em duas semanas com uma dose de Nutrafin Plant Gro (micro-nutrientes).

9 de Junho de 2013

Xenotoca eiseni - 80 litros

Xenotoca eiseni é a única espécie de goodeídeo que mantenho de momento, trata-se de uma espécie bastante interessante, com uma vida social complexa, ainda que possam também ser um pouco agressivos, tanto intraespecificamente como para outras espécies, pelo que o mais conveniente é mantê-los num aquário que lhes seja dedicado exclusivamente. Já mencionei a espécie anteriormente num post e agora deixo aqui os dados relativamente ao aquário onde estão.


Características:
  • 80 litros brutos
  • Sem aquecimento
  • Iluminação fluorescente de 18 watts
  • Filtro Eheim 2213, 440 l/h

Fauna:
  • 6 Xenotoca eiseni (3 machos e 3 fêmeas)
Flora:
  • Vallisneria sp.
  • Egeria najas

Heterandria formosa - 30 litros

Aqui deixo os dados relativos ao aquário onde neste momento mantenho uma pequena colónia de Heterandria formosa. Além da fotografia do aquário que aqui coloco podem ver algumas fotografias dos seus habitantes neste post. E para os que estiverem interessados em saber mais sobre a espécie aqui fica o link para uma excelente ficha informativa sobre a espécie.
 
Características:
  • 30 litros brutos
  • Sem aquecimento
  • Iluminação fluorescente de 24 watts
  • Filtro Elite Stingray 10, 200 l/h (reduzi um pouco este caudal e retirei o carvão, que substituí por Eheim Subtract Pro)

Fauna:
  • 5 Heterandria Formosa "Kissimme River" (2 machos e 3 fêmeas)
Flora:
  • Echinodorus sp.
  • Ceratophyllum demersum
  • Vallisneria nana 

6 de Maio de 2013

Heterandria formosa

Tenho há cerca de um mês cinco exemplares de Heterandria formosa "Kissimmee River", capturados no seu habitat natural na Florida.



É uma daquelas espécies que é pena e difícil de compreender o porquê de ser tão difícil de encontrar, porque tem tudo para fazer sucesso não só entre os apreciadores de vivíparos mas também entre os apreciadores de nano aquários.

Para quem estiver interessado deixo aqui um excelente link acerca da espécie.

18 de Março de 2013

Alevins de Limia tridens II

Conforme dito, aqui fica uma foto de um dos alevins de Limia tridens. É possível notar a pequena mancha na barbatana dorsal que todos têm.


16 de Março de 2013

Alevins de Limia Tridens

Finalmente alevins de Limia tridens, em grande quantidade. Têm todos uma pequena mancha na base da barbatana dorsal, o que acho um pormenor bastante interessante. Vou tentar colocar fotos mas é difícil conseguir boas, os peixes são minúsculos.

10 de Março de 2013

Vida de guppy

Não tenho tido muito tempo para actualizar o blog, mas aqui deixo um vídeo novo do aquário dos gupis selvagens, o de 38 litros sobre o qual existe um post em actualização também.

O vídeo mostra alguns dos interessantes rituais de acasalamento destes gupis selvagens de origem colombiana (Poecilia reticulata), é de notar que são diferentes das simples "perseguições" que normalmente se vêem nas estirpes de aquário.

24 de Fevereiro de 2013

Mais alevins

Afinal já não é só um alevim no tanque dos endlers, hoje já vi com certeza absoluta três distintos, mas parece-me que pode haver pelo menos mais um ou dois. Não sei se nasceram entretanto ou se ontem não os consegui ver, estavam no sítio para onde não olhei com muita atenção, junto à Ceratophylum demersum na zona da superfície, o que é um lugar bastante óbvio até, mas distraí-me com outro a nadar junto à cryptocorine.


A foto é má, mas consegue-se ver dois alevins distintamente.

23 de Fevereiro de 2013

Alevim de endler

Vi hoje um alevim no aquário dos endlers, só consegui ver um durante uns 15 minutos em que estive à procura de mais, estava a aventurar-se em redor da cryptocorine que domina o aquário, a Limia tridens fêmea tentou comê-lo sem conseguir. Este é provavelmente o sobrevivente de um grupo maior. Vou ter que pensar em passar as limias para outro tanque.

21 de Fevereiro de 2013

Areia de rio

Ando faz uns dias a pensar numa nova montagem para o aquário de 70 litros, não estou nada contente com a forma como actualmente está, com akadama que não consigo libertar de algas e sem uma ideia que o estruture. De resto cada vez acho menos interesse a substractos tipo akadama e granulados do género da ADA e outras marcas, será bom para quem quer fazer plantados tipo nature aquarium e iwagumi, mas esse tipo de aquário cada vez me interessa menos, aquele aspecto tão limpo e "ajardinado" parece-me artificial. Além disso tenho cada vez mais a opinião que os plantados, desse tipo, são para quem gosta de jardinagem mais do que de peixes - nesse tipo de aquário os peixes são só um acessório decorativo muitas das vezes. Bem, opiniões sobre o que está na moda em termos de aquascaping à parte, a mim cada vez mais o que me interessa são aquários de biótopo pensados em função dos peixes que lá quero manter, nesta lógica estou estou com a ideia de fazer no aquário de 70 litros um biótopo estuarino da América do Sul e Central (eventualmente convertível no futuro em salobro para Micropoecilia picta), arenoso, despojado, água dura, e algumas plantas resistentes, estou a pensar principalmente em valisnérias e talvez ceratophylum.

Isto tudo para dizer que andava havia uns dias a pensar no tipo de areia que deveria utlizar, da ADA e coisas semelhantes estava fora de questão, são preços perfeitamente abusivos, areia de sílica que muita gente usa é demasiado clara e uniforme, tem um aspecto artificial, areia de praia dá demasiado trabalho a preparar, já andava a pensar correr lojas onde me lembro de ter visto em tempos areia de rio... ou em alternativa localizar um rio próximo com areia adequada e lá ir um fim de semana. Só chatices, e um bom tempo que teria que perder. Então tive a feliz ideia de passar no AKI na parte de materiais de construção: saca de areia de rio de 25 kg a 1,95 euros, granulagem, cor e textura perfeitas.